Segundas às sextas-feiras de 08:00 às 17:00 - Sábado de 08:00 às 12:00    Av. Prudente de Moraes, 901, Belo Horizonte - MG
(31) 3293 - 7312

Tratamentos

O controle rigoroso do diabetes reduz significativamente o risco de perda da visão por retinopatia diabética. Outras alterações tais como a pressão arterial elevada e o comprometimento dos rins devem ser rigorosamente controladas, quando associadas ao diabetes. O tratamento das lesões decorrentes da retinopatia diabética é feito por meio da fotocoagulação com laser (feito no consultório) e com uso de medicamentos intra-vítreos (aplicação em bloco cirúrgico), sendo fundamental um bom controle glicêmico. Em casos mais avançados é necessário tratamento cirúrgico.

A capsulotomia com YAG Laser é uma técnica cirúrgica que visa tratar a opacificação da cápsula posterior do cristalino, após a cirurgia de catarata. É um procedimento seguro, eficaz e indolor. Quando a acuidade visual fica comprometida pela opacidade capsular, a abertura da cápsula posterior poderá ser realizada, no consultório, com YAG Laser, sem necessidade, portanto, de realização de procedimento em bloco cirúrgico. O procedimento é rápido, realizado com colírio anestésico, não necessitando de repouso, o que permite que o paciente retorne às suas atividades normais em pouco tempo.

Outro procedimento realizado com YAG laser é a iridotomia, indicada em pacientes com ângulo estreito na câmara anterior, que pode causar crises de glaucoma. O procedimento é rápido e seguro, com o objetivo de prevenir essas crises agudas de glaucoma.

O tratamento adotado do olho seco varia conforme a sensibilidade de cada paciente e deve ser baseado no diagnóstico individualizado, feito pelo médico.

Várias são as formas de tratar o olho seco. Colírios específicos, conhecidos como lágrimas artificiais ou lubrificantes, são indicados para casos mais simples. Em casos graves, é possível recorrer à oclusão da via de drenagem da lágrima, permitindo que maior quantidade fique em contato com o olho.

O bom resultado do tratamento dependerá do correto diagnóstico dos fatores que desencadeiam o olho seco.

Para diminuir os sintomas e o desconforto, pode-se: utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência, ou ainda, usar colírios lubrificantes.

Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral:
– Lave suas mãos com frequência e evite pegar na mão de outras pessoas;
– Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área e para não levar o vírus às mãos;
– Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas;
– Ao usar, não encoste o frasco do colírio ou da pomada no olho;
– Evite a exposição a agentes irritantes (fumaça) e/ou alérgenos (pólen, poeira, ambientes com mofo) que podem causar a conjuntivite alérgica;
– Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite;
– Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas;
– Não usar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite;
-Evitar piscinas.

É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista, para um diagnóstico preciso e para um tratamento adequado. No caso de conjuntivite bacteriana deve-se, além desses cuidados, usar colírios antibióticos, que só podem ser prescritos pelo médico.

Existem diversas formas de tratamento para as alergias oculares, como uso de colírios específicos e medicações sistêmicas. Mais importante do que o tratamento medicamentoso, é o cuidado com o ambiente, de modo a evitar o contato com substâncias que precipitam o quadro alérgico. Cada caso deverá ser avaliado individualmente, a fim de escolher o tratamento mais apropriado para o paciente. Consulte seu oftalmologista. Ele é o profissional capacitado para lhe orientar sobre o tratamento mais adequado para o seu caso.

ESPECIALIDADES

A Clínica de Olhos Santo Antônio oferece aos seus clientes um atendimento de excelência com foco nas práticas de segurança, qualidade e inovação, proporcionando a saúde ocular e o bem estar através dos serviços prestados. São diversas especialidades, passando pelas fases de prevenção, diagnósticos, cirurgias e tratamentos.

Catarata

A cirurgia de catarata é feita com anestesia local e leve sedação, de modo a proporcionar o máximo de conforto e tranquilidade ao paciente durante sua realização. É realizada pela técnica de facoemulsificação, em que o cristalino é fragmentado em pequenas partículas e aspirado através de pequena incisão na córnea. Através dessa incisão, é implantada uma lente intraocular, que irá substituir o cristalino opacificado (catarata).

Cirurgia Refrativa – Miopia e Astigmatismo

Utilizada para reduzir ou eliminar a necessidade dos óculos ou das lentes de contato, a cirurgia refrativa é realizada por meio de laser, o que a torna rápida e precisa, permitindo o retorno, em poucos dias, às atividades sociais e profissionais.

Glaucoma

O Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível, sendo causado, quase sempre, pela pressão intraocular elevada. Nessa doença, ocorre lesão do nervo óptico e perda progressiva do campo visual, de forma “silenciosa”. Por isso, o paciente só percebe a perda da visão nos estágios avançados, o que torna tão importante fazer consultas periódicas, mesmo quando não há queixas. Como a perda visual causada por essa doença é irreversível, o diagnóstico precoce é fundamental para a manutenção de uma boa visão a longo prazo. O tratamento tem como objetivo a redução da pressão intraocular, para interromper o avanço da doença. Isso que pode ser obtido com o uso de colírios, com tratamento a laser ou com cirurgia.

Retina e Vítreo

A Clínica de Olhos Santo Antônio dispõe de profissionais habilitados para o tratamento clínico e cirúrgico de doenças que comprometem a retina e o vítreo, com acesso a aparelhos de última geração, para auxiliar no diagnóstico e nas cirurgias das doenças vitreorretinianas.

Cirurgia de Pterígio

Nesse procedimento, o pterígio é removido e é realizado um transplante de conjuntiva do próprio paciente no local de onde foi retirado, o que reduz a chance da lesão surgir novamente. A cirurgia é realizada sob anestesia local e tem duração de cerca de 30 minutos.